|Terça-feira, 19 Fevereiro 2019

Juju Salimeni é condenada por não comparecer a evento em MT

Justiça considerou que ausência da modelo causou frustração ao público da festa e aos organizadores

COMPARTILHECOMPARTILHE

A Justiça mato-grossense condenou a modelo e ex-panicat Juju Salimeni a pagar R$ 20 mil, a titulo de danos morais, por não comparecer a um evento em Sinop (500 km de Cuiabá). O caso aconteceu em 2013 e a decisão foi publicada recentemente pelo Tribunal de Justiça.

Inicialmente, os produtores da “Feijofashion”, que aconteceu no dia 7 de abril daquele ano, entraram com a ação na Justiça depois que a modelo não cumpriu com um compromisso firmado.

Segundo contaram, eles teriam contratado a ex-panicat para um desfile e “presença artística VIP”, e apenas na manhã da festa foram avisados de que ela não estaria presente, “não havendo tempo para substituir a atração, como estabelecia o contrato firmado entre as partes”.

Eles também comprovaram os gastos com a publicidade do evento, feita por meio de panfletos, revistas, jornais e vídeos. Segundo eles, houve a frustração do público e o comprometimento de sua imagem e credibilidade com a comunidade local.

Na 1ª Instância, a Justiça acolheu pedido dos organizadores e determinou que a modelo e sua agência pagassem R$ 50 mil a título de danos morais, além do pagamento de R$ 2,8 mil por danos materiais.

Juju recorreu da sentença no Tribunal de Justiça, alegando que “o mero descumprimento de cláusula contratual não configura dano moral, não havendo que se falar em condenação pela ocorrência de suposto dano extrapatrimonial”.

Ela também pediu a redução do valor de indenização para R$ 5,2 mil, que simbolizaria 50% do valor contratado.

Relatora do caso, a desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho observou que, ao contrário do que alegou a defesa, houve, sim, “notória frustração das expectativas dos envolvidos e da comunidade local” e que, por isso, não há como considerar o caso um “mero descumprimento contratual”.

Por fim, ela atendeu parcialmente o pedido, e reduziu o valor da indenização para R$ 20 mil, valor que, para a desembargadora, melhor atende aos princípios da razoabilidade e da proporcionalidade.

(Com assessoria)

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

Please enter your name here
Please enter your comment!

LINKS PATROCINADOS

DESTAQUES

Bairro Cuiabá História Municípios Policia
Ambulatório do HMC entra em funcionamento na próxima segunda-feira
Clientes visitam cozinha e descobrem os segredos do McDonald´s
Mesmo com obra por terminar, população já faz uso do Parque da Família
Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
Lei sancionada proíbe o uso de soda cáustica em escolas de Mato Grosso
Pleno do TCE vai debater duas propostas para dar posse, ou não, a novo conselheiro
“Isso não costuma dar certo”, diz membro da Atricon sobre indicação de réus
Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
Alceu Moreira toma posse nesta terça como presidente da FPA
Madeireiros passam a conviver com período de “piracema” florestal
Produção orgânica e a um preço mais em conta: conheça a Horta Terra Estrela
Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
Carna AUAU: “carnaval” para pets acontece neste sábado
Cine Teatro exibe documentário sobre cidades sem população jovem
Cores neon, pochete e acessórios: saiba o que será tendência no Carnaval 2019
Corrupção Economia Eleições Estados Política
Comissão do Senado aprova convite para que Bebianno dê explicações
PF prende presidente da CNI, Robson Andrade
Inflação do aluguel é de 7,24% em 12 meses
Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
Mato Grosso oferece 899 oportunidades de emprego
Prefeitura convoca novos profissionais para creches
MT dobrou número de novos empreendedores em apenas 5 meses
X