|Quinta-feira, 21 Junho 2018

    Defesa de Lula diz ter recibos originais de aluguel de apartamento

    COMPARTILHECOMPARTILHE

    Reprodução/Tribunal Regional Federal da 4ª Região

    Recibo Lula

    Cópia de recibo de aluguel entregue à Justiça pelo ex-presidente Lula com data de 31 de junho, inexistente no calendário

    A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou nesta quarta-feira (11) à Justiça Federal no Paraná ter os recibos originais que comprovam o pagamento de aluguel de um apartamento vizinho ao que mora o ex-presidente, em São Bernardo do Campo (SP). Em petição protocolada nesta quarta-feira (11) os advogados de Lula pedem que o juiz Sérgio Moro, responsável pelos inquéritos decorrentes da Operação Lava Jato na primeira instância, marque uma “audiência formal” para entrega dos documentos com a presença de perito.

    “Pedimos ao juiz Moro, por cautela e, se possível, que seja designada audiência formal para entrega desses documentos com a presença de perito ou de serventuário habilitado que possa constatar o estado do material nesse momento (ausência de rasuras, etc)”, diz trecho da petição apresentada pelo advogado Cristiano Teixeira Martins à 13ª Vara Federal na capital paranaense.

    Na segunda-feira (9), Moro deu prazo de cinco dias para que a defesa de Lula informasse se tinha os originais dos 26 recibos apresentados à Justiça. A determinação do magistrado ocorreu após a força-tarefa da Lava Jato protocolar, na semana passada, um incidente de falsidade em que pede perícia nos recibos e afirma que eles são “ideologicamente falsos”.

    Para a defesa de Lula, a perícia irá “comprovar a autenticidade” dos recibos e que o pedido do Ministério Público Federal é baseado apenas em “convicções” e não em provas. No documento enviado hoje à Justiça, os advogados listam uma série de provas que atestam a legalidade do contrato de aluguel do apartamento vizinho ao do ex-presidente.

    Contrato

    De acordo com os advogados de Lula, o contrato de locação foi firmado entre Glaucos da Costamarques e a ex-primeira dama Marisa Letícia, morta em fevereiro, e os recibos já foram apresentados à Justiça “exatamente como formam encontrados” por parentes e auxiliares de Lula.

    Costamarques, dono do apartamento, é sobrinho do empresário José Carlos Bumlai, amigo de Lula e preso na Lava Jato. Inicialmente, o apartamento foi alugado pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, quando Lula ainda era chefe do governo, para ser usado pelos policiais responsáveis pela segurança do então presidente. Depois que deixou o cargo, Lula decidiu assumir a locação do imóvel, que tinha como locatária formal a ex-primeira dama Marisa Letícia.

    Na ação penal, o Ministério Público acusa o ex-presidente de receber vantagens indevidas oriundas de fraudes em contratos da Petrobras e o apartamento seria uma delas. Para a força-tarefa da Lava Jato, Lula seria o verdadeiro dono do imóvel vizinho ao dele. Glaucos da Costamarques, também réu no processo e proprietário do imóvel, seria um “laranja”.

    Segundo a defesa do ex-presidente, a quebra de sigilo bancário de Costamarques mostrou haver fluxo financeiro compatível com o recebimento dos aluguéis entre 2011 a 2015. “Nesse período Glaucos recebeu inúmeros depósitos em dinheiro em suas contas que totalizam valor sete vezes maior do que a somatória dos aluguéis. Senhor Glaucos declarou à Receita Federal e à Polícia Federal, em junho e outubro de 2016, respectivamente, que recebia os aluguéis”, argumentou a defesa.

    Em resposta à acusação do MPF de que não foram encontrados documentos relativos ao aluguel do apartamento vizinho ao de Lula nas operações de busca e apreensão em imóveis relacionados a ao ex-presidente, a defesa afirmou hoje que, à época das operações, o apartamento não era alvo das investigações.

    “Na busca e apreensão realizada em 04/03/2016 no apartamento de Lula e de dona Marisa por determinação do juiz Sérgio Moro havia determinação específica para apreensão de eventuais documentos relativos ao ‘tríplex do Guarujá’ e não em relação ao apartamento vizinho ao do ex-presidente. Logo, o fato de a Polícia Federal não haver feito a apreensão do contrato de locação e dos recibos apresentados pela defesa no dia 25/09 decorre do fato de o imóvel não ser objeto de investigação naquela oportunidade, o que somente veio a ocorrer em 15/03/2017”, ponderou a defesa de Lula.

    Para o advogado do ex-presidente, a “força probatória” dos recibos com a declaração de quitação está prevista no Código Civil e “não pode ser superada por ilações e convicções [do Ministério Público Federal].

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your name here
    Please enter your comment!

    DESTAQUES

    Cidadãos armados enfrentam criminoso e evitam um possível massacre em loja do Walmart de...

    Selma diz que juiz a persegue por causa de namorada; juiz diz que já...

    Homens são presos captando clientes para advogado de Cuiabá sob a promessa de “limpar...

    Estudantes da UFMT em Cuiabá decidem não voltar às aulas

    Os primeiros passes de Neymar: conheça a quitinete onde o craque morou em VG

    Bairro Cuiabá História Municípios Policia
    Liminar obriga município a realizar vasectomia e laqueadura em policlínicas da Capital
    Rapaz com câncer no cérebro desaparece de hospital em Várzea Grande
    Recém-nascido que afogou com leite é salvo por policiais militares em Lucas
    Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
    Vandoni deve fazer marketing de Taques com missão de reverter rejeição
    MPF ainda não pediu para processo dos grampos descer para MT
    Câmara de Cuiabá cria mais 2 CPIs; oposição suspeita de manobra da base
    Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
    Embargo da UE derruba exportação brasileira de carne de frango
    FPA pede providências criminais contra “bomba” do Greenpeace na Câmara
    Câmara dos Deputados aprova marco regulatório para o transporte de cargas
    Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
    Comediante John Oliver é censurado do “Twitter chinês” após reportagem crítica ao presidente Xi Jinping
    Hoje e amanhã tem sessão de Realidade Virtual gratuita no Sesc Arsenal
    Fox aceita nova proposta da Disney e acordo bilionário deve ser fechado em breve
    Corrupção Economia Eleições Estados Política
    Fux defende combate “incisivo” às fake news
    STF mantém liberação de programas humorísticos em período eleitoral
    Pelo Twitter, governo defende ações para acolher imigrantes
    Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
    Sejudh abre processo seletivo para contratação de médicos
    SES abre processo seletivo para preencher vagas no programa Telessaúde MT
    Agência de empregos seleciona estagiários para área de telemarketing em Cuiabá
    X