22 de setembro de 2017 - 09:38

Prefeitura apreende mesas e cadeiras de bares da Praça da Mandioca

De acordo com a Secretaria de Ordem Pública, donos de bares foram avisados para não colocar mesas nas ruas

Helson França

, da Redação

helson.franca@olivre.com.br

Fiscais da prefeitura, com o apoio de policiais militares, estiveram por volta das 19h desta quinta-feira (21) na Praça da Mandioca, tradicional ponto boêmio de Cuiabá, e recolheram mesas e cadeiras que costumeiramente ficam nas ruas, próximas às calçadas.

De acordo com o secretário municipal de Ordem Pública, Leovaldo Sales, a prefeitura, em reunião com os empresários da região, já havia passado a orientação para não ocupar as vias de circulação.

Os proprietários, no entanto, alegam que nenhum documento foi apresentado ou nada teria sido informado sobre a ação.

"Já estávamos preparados para abrir o bar quando percebi uma movimentação de policiais militares chegando com as viaturas e as posicionando como se fosse uma mega operação. Em seguida, vi os fiscais da prefeitura recolhendo as mesas e cadeiras que estavam na parte de fora dos estabelecimentos", diz Bárbara Albuquerque Brasil, 37 anos, sócia do Mandioca Pub.

Ela disse que chegou a questionar os fiscais sobre o que estava acontecendo. "Nenhum documento foi apresentado, apenas falaram para não mexermos em nada, pois já haviam fotografado e iriam recolher tudo", contou.

Dono do bar Dom Luiz, Luiz Carlos Dorilêo, 61 anos, afirmou que perdeu 6 mesas e 18 cadeiras, segundo ele, que ficavam encostadas ao lado da praça. "Quando não estão lá, ficam os carros. Não atrapalha ninguém", garantiu. Para obtê-las de volta, ele calcula que terá de desembolsar R$ 280.

O professor aposentado da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Élzio Pacheco, 64 anos, proprietário do Espeto Pub/Cantinho da Mandioca, classificou o episódio como uma "arbitrariedade".

"Simplesmente foram pegando tudo. Não pediram para que eu assinasse nada e levaram 8 mesas e 22 cadeiras", lamentou.

Conforme o secretário Leovaldo Sales, a presença de policiais militares foi necessária para dar "segurança institucional" à fiscalização. Ele informou, ainda, que os proprietários podem apresentar a defesa na secretaria.

01 Comentário(s)

RICARDO - 22.09.2017

Infelizmente aos que querem trabalhar, gerar emprego e renda são perseguidos.

Leia mais