12 de novembro de 2017 - 08:33

Doulas: presença na hora do parto pode ser garantida

Hoje, presença dessas profissionais na sala de parto é exclusividade de mulheres que podem pagar por atendimento em unidades de saúde particulares

Laura Nabuco

, da Redação

laura.nabuco@olivre.com.br

Arquivo Pessoal

Doula Joziane Seidel

Joziane Seidel é enfermeira obstetra e doula. Na quinta-feira (9) sentiu os primeiros sinais do trabalho de parto de Ana Luísa, sua segunda filha

Hospitais públicos e privados de Mato Grosso podem passar a ser obrigados a permitir a presença de doulas nas salas de parto para acompanhar pacientes. De autoria do deputado estadual Wancley Carvalho (PV), um projeto de lei nesse sentido tramita na Assembleia Legislativa e já recebeu aprovação da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). A votação agora será em plenário.

Enfermeira obstetra e doula, Joziane Seidel afirma que o acompanhamento dessas profissionais na hora do parto, hoje, é uma exclusividade de mulheres que têm condições pagar por atendimento na rede particular de saúde. Quem precisa do SUS (Sistema Único de Saúde), em geral, tem direito a apenas um acompanhante no momento do nascimento do filho. 

“Quando vai para a sala de parto, a mulher tem que escolher entre a doula ou o marido. É injusto porque, o marido não tem a instrução que a doula tem e a doula não tem o vínculo afetivo e familiar que o marido tem a com a esposa”, afirma.

A limitação, ainda de acordo com Joziane, ocorre muitas vezes por falta de espaço nas salas de parto. Segundo ela, em geral, a distância entre as camas onde as gestantes que estão em trabalho de parto aguardam o momento certo do nascimento é pequena e não permite a permanência de duas pessoas. 

“Há ainda um entendimento nesses hospitais de que a mulher que está sendo atendida pelo SUS não pode pagar por um serviço particular. Para eles, não existe meio SUS, meio particular”, diz Joziane, ressaltando que, em geral, as mulheres pagam para ter uma doula acompanhando sua gestação.

Dados da Secretaria de Saúde de Cuiabá revelam que, somente de janeiro a outubro, foram realizados mais de 9 mil partos em unidades da capital.

O serviço
Além de acompanhar o momento do parto, as doulas orientam a gestante sobre as mudanças no corpo, os benefícios de um parto normal, como ocorre todo o processo de gestão e até como amamentar o bebê.

Joziane afirma que algumas futuras mães entram em contato com essas profissionais logo que confirmam a gravidez. A procura o quanto o antes é recomendada por ela, já que a demanda pelo serviço tem crescido e algumas doulas – como é o caso dela mesma – têm até uma espécie de “lista de espera”.

“Já tenho partos previstos para 2018. Precisamos agendar, porque não dá para atender todo mundo. É um trabalho que precisa de cuidado e atenção”, explica, pontuando que, quando se aproxima o momento do nascimento, a doula fica 24 horas à disposição da família que a contratou.

Em média, as doulas cobram entre R$ 800 e R$ 1,5 mil para fazer o acompanhamento dos últimos meses de gestão até os primeiros passos da amamentação do bebê. Joziane ressalta que profissionais como ela – que é formada em enfermagem e especializada em obstetrícia –, todavia, podem custar mais caro por serem capazes de oferecer um serviço diferenciado.

Na hora da escolha, além de conhecer a capacitação da profissional – Joziane afirma existirem cursos de formação de doulas – ela destaca outro ponto essencial: a empatia entre a mãe e a doula.

“É uma questão de identificação entre as duas, já que é um momento muito íntimo e, quando se aproxima o momento do nascimento, essa pessoa vai precisar entrar na sua casa, vai estar ao seu lado o tempo todo”, ressalta.

Em geral, a divulgação do trabalho dessas profissionais ocorre no “boca a boca”. Joziane afirma existirem grupos no WhatsApp para troca de informações entre mães e doulas e também uma página no Facebook. Há ainda um grupo de doulas que se reúne no Sesc Porto, com o projeto Secs Materna. 

Contato

Joziane Seidel – enfermeira obstetra e doula – (65) 9 8121-3434

Grupo Bem Gerar – (65) 9 8129-2763 – falar com Thatty 
 
Roda da Luz – GAPP Cuiabá – (65) 9 8124-3639 – falar com Dayane 

Sesc Materna – (65) 3611-0700

Leia mais