12 de novembro de 2017 - 08:01

De Várzea Grande a Milão: a ascensão de uma modelo que cresceu na periferia

Lázaro Thor Borges

, da Redação

lazaro.borges@olivre.com.br

Modelo Letícia Dantas

Letícia Dantas saiu da casa da mãe em Várzea Grande aos 17 anos para trabalhar como modelo na Europa

Mais de uma vez quando tentou ser modelo Letícia Dantas sentiu que não conseguiria. A adolescente morava com a mãe e mais três irmãos em um residencial de pequenas casas populares no bairro São Matheus, em Várzea Grande. Ela dividia seu tempo entre as aulas na escola pública onde estudava e a leitura de livros na biblioteca comunitária do bairro. 

“Eu li mais de 300 livros naquele tempo” conta Letícia. A jovem explica que, apesar da das derrotas em alguns concursos, nunca desistiu de ser modelo. “Eu chegava a pensar que não conseguiria, mas no dia seguinte eu estava com a esperança renovada, como mágica”, relembra.

O sonho virou realidade quando Letícia venceu a etapa centro-oeste de um concurso nacional. Mais tarde, ela foi contratada por uma agência e fechou acordo para sua primeira viagem internacional, aos 17 anos. Em Milão pela primeira vez, a modelo realizou trabalhos para marcas como Armani e Versatti. Além da capital italiana, um dos principais centros mundiais da moda, Letícia também desfilou em Istambul durante as temporadas de fashion week.

“Às vezes quando eu estou aqui eu paro para pensar e comparar a cidade de onde eu vim, uma cidade simples e acabei aqui em Milão, uma cidade número um da moda. Mas depois eu lembro do esforço meu e da minha família e eu sei que valeu a pena.”, diz a jovem.

Diferente de outras modelos, Letícia aprendeu inglês sozinha, muito antes de viajar. Quando ainda morava em Várzea Grande ela estudou com livros que ganhou da mãe. Tão rápido quanto o inglês, a modelo aprendeu também o italiano depois que começou a morar em Milão.

“Eu sempre fui uma pessoa muito curiosa, então eu comecei a estudar inglês sem curso, até porque o custo é alto e não caberia no orçamento da minha família. Minha mãe até procurou para fazer curso, mas eu disse para ela que não precisava porque eu sabia que ficaria caro.”, conta.

A beleza de Letícia encantou o caça-talentos Jocler Turmina. O agente a conheceu depois que Letícia venceu alguns concursos de miss em Várzea Grande. Segundo Turmina, Letícia Dantas tem uma beleza que mistura brasilidade e traços elegantes, uma beleza brasileira e sofisticada.

“Ela é uma menina para gente ficar de olho, e tenho certeza que ela pode ser uma top model. E ela vai ter tempo para se firmar como modelo, tem todas as características para isso”, explicou ele. Jocler conta que, ao contrário da modelo Roza Figueira, Letícia terá tempo o suficiente para administrar sua carreira e logo poderá trabalhar em circuitos como Nova York, Paris e Londres.

Além de modelo, Letícia diz que tentará conciliar a carreira com o curso de Direito que deve ingressar em breve. A jovem volta ao Brasil no final do ano para matar a saudade da família. "Quando eu peguei a passagem de volta a saudade bateu mais forte", detalha. Depois da visita, a volta à Europa deve ocorrer no início de 2018, onde deve começar um novo ciclo na tentativa de crescer ainda mais como profissional. 

Leia mais