24 de novembro de 2017 - 17:45

Já bebeu uma Pilsen de verdade?

A Pilsen tem esse nome pela cidade onde nasceu. Aquilo que chamamos por esse nome é uma alteração desse modelo

Vinicius Masutti

, da Redação

A descrição sensorial de uma cerveja estilo Pilsen é a seguinte: coloração dourada, brilhante, límpida, com notas aromáticas de cereal e lúpulo, remetendo à panificação e toques florais. Na boca, corpo baixo, alta carbonatação e sabores seguindo os aromas, com notas bem presentes de malte/cereal e amargor moderado (médio). Parece aquela “tipo pilsen” do churrascão? Pois é, não parece muito, porque aquela cerveja que costumamos chamar de Pilsen, é na verdade de outro estilo, chamado de American Standard Lager, próximo, mas distinto.

A Pilsen, tem esse nome, porque o estilo surgiu na cidade de Plzeň, na região da Bohemia, na República Tcheca. Isso aconteceu em 1840, quando a tecnologia de malteação já avançava ao ponto de conseguirmos produzir maltes claros (falamos do malte aqui). Antes, a única forma de maltear os cereais era na lenha, o que acabava tornando a grande maioria das cervejas, escuras e defumadas.

Unindo os maltes claros, com lúpulos nobres da região e com a fermentação a baixas temperaturas (leia sobre a lager aqui) nasceu o estilo mais mal conhecido no mundo, a Pilsen. Aqui no Brasil, no início, foi batizada de Bohemian Pilsener, indicando a região onde foi criada e correspondente a descrição sensorial que fiz no começo.

Os alemães, um pouco mais tarde, desenvolveram sua própria versão, um pouco mais clara, mais seca e amarga, chamada então de German Pils. E estes são os dois estilos verdadeiros de Pilsen. Mas você pode estar se perguntando: porque então aquela “tipo pilsen” não é uma pilsen também? Eu respondo.

Para ser chamada de Pilsen, a cerveja precisa atingir certas características, como as descritas no começo do texto e seguir uma receita específica, que no caso desse estilo deve ser feita apenas com malte de cevada, lúpulo da região, levedura lager e, claro, água. Ao longo dos anos, a grande indústria passou a alterar essa receita, incluindo outras fontes de açúcar, os famosos “cereais não-maltados” com o objetivo de baratear o custo, fazendo um produto similar. O problema é que essa alteração na receita também altera as características sensoriais da cerveja, e por isso ela fugia ao estilo original, portanto esse tipo de variação da Pilsen foi mais tarde nomeado como “American Standard Lager”.

Mas porque você deveria se importar com essa nomenclatura? Porque existem parâmetros que determinam o estilo da cerveja, e desrespeitá-los, é desrespeitar você, consumidor. É como se você comprasse coxão duro, sendo vendido como picanha, porque são cortes próximos, mas distintos e alguns açougues ou supermercados fazem esse tipo de venda, aproveitando a ignorância do consumidor. Se você comparar no copo uma Bohemian Pilsener com uma American Standard Lager ou a “tipo pilsen”, verá a diferença, assim como as duas carnes no prato. Para encontrar uma legítima Pilsen, vá a um empório ou bar especializado, se a equipe for bem treinada e carta de cervejas for boa, te indicarão uma. Pode também buscar em lojas virtuais, procurando pelo nome correto do estilo e quando achar, lembre-se da temperatura do serviço, que falamos na última semana heim. Saúde

Vinícius H. Masutti